Imprimir | Fechar

Ter folguista pode diminuir gastos com funcionários

Quem mora em prédio costuma começar o ano preocupado em reduzir o valor da taxa de condomínio. Não é para menos: em 2008, ela ficou 7% mais cara, em média, na cidade de São Paulo.

Neste ano, o aumento deverá ser de 5% a 10%, de acordo com a Aabic (Associação de Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo).

O pontapé inicial na redução dos custos é dado na primeira assembléia do ano, realizada no primeiro trimestre, que coloca em pauta itens como despesas do ano e provisões para reformas.

Os gastos com funcionários (pagamento de salário e de encargos sociais) são os que mais abocanham (46%) a receita condominial, segundo a Aabic.

A boa notícia é que, no ano passado, esses gastos diminuíram, já que, em 2005, eram responsáveis por 52% do valor da taxa condominial. Uma das táticas adotadas para aliviar a folha de pagamento é substituir as horas extras dos funcionários por folguistas.

Em pesquisa do Jornal Folha de São Paulo, apontou que os edifícios gastam pelo menos 25% a mais em horas extras do que gastariam se usassem folguistas.

Em segundo no ranking de maiores despesas, aparecem as contas de água e de luz (20,2%). Instalar medidores individuais de água ou de gás, modernizar elevadores para baratear sua conservação e trocar de empresa de manutenção são algumas das medidas que geram economia nas contas do condomínioe podem ser aprovadas pelos moradores na primeira assembléia do ano.

 

Imprimir | Fechar